sábado, 30 de abril de 2011

Sopa de abóbora

Esse quadro me inspirou para postar uma receita indicada para os dias de outono. Embora aqui no Rio de Janeiro o outono seja apenas uma estação do ano, no calendário normal da sucessão das estações, pois a temperatura está bem longe de ser uma temperatura outonal, uma sopa sempre cai bem. O quadro é do pintor alemão Paul Burmeister (1847 - 1923). A obra foi leiloada em 2007 na Kunstauktionshaus, em Leipzig, Alemanha.


A jovem serva, em trajes do final so século XIX, carrega uma grande sopeira de porcelana azul e branca, provavelmente da fábrica real de Meissen. Desde o século XIII, os chineses levavam objetos de porcelana para a Europa, e tais objetos tornaram-se símbolos de riqueza e luxo. No início do século XVIII, começou-se a produzir porcelana na Europa, e a primeira fábrica do Ocidente foi instalada em Meissen, na Saxônia, perto de Dresden.  Augusto II da Saxônia (1670 - 1733) incumbiu o químico e alquimista alemão Johann Friedrich Bottger (1682 - 1719) de descobrir a fórmula da porcelana. Após muitas tentativas, a fórmula foi descoberta, e o rei a guardava cuidadosamente, assim como o seu descobridor, que segundo rumores, era mantido sob custódia.

Sopeira de Meissen - século XVIII

Sopa de abóbora

Ingredientes:

1 kg de abóbora em cubos
1 cebola média
3 colheres de sopa de manteiga
2 tabletes de caldo de galinha
500 ml de leite
250 ml de creme de leite fresco
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparar:
Refogue a abóbora com a cebola na manteiga. Adicione água suficiente para cobrir a abóbora e adicione o caldo de galinha. Cozinhe até a abóbora ficar macia. Bata tudo no liquidificador e volte para a panela. Acrescente o creme de leite e aqueça a sopa. Tempere com sal e pimenta-do-reino e sirva com torradas. Se agradar, adicione uma pitada de cominho em pó.


Nenhum comentário:

Postar um comentário